E Se a Gente Ganhar a Guerra? (1971)

e_se_a_gente_ganhar_a_guerra

Ficha técnica 
IMPRENSAMalucos no poder, (VEJA, outubro de 1971)
Sátira política revela seu autor (O Estado de S. Paulo, outubro de 1971)

Bem vestido, o bombeiro Aldecides, ou Sabará, subiu as escadarias do Palácio do Governo do Espírito Santo. Numa das ante-salas do gabinete, anunciou ao Tenente Ajudante de Ordens: “Sou o novo governador. Vim assumir!” Preocupado, o oficial comunicou ao Capitão Jair, Chefe da Segurança, a presença de Sabará e sua pretensão. Como a segurança do governador Cristiano Dias Lopes não parecia estar ameaçada, o Capitão recebeu o novo governador anunciando que ele era esperado. Satisfeito, Sabará escolheu mesa e pediu processos para despachos, enquanto era servido com um cafezinho. Minutos depois, o Capitão permitiu-se lembrar ao governador que, diante dos compromissos do dia, deveria voltar para casa e mudar de roupa. Sabará concordou, desceu as escadarias, respondeu às saudações da guarda e, enquanto o Capitão batia a porta do reluzente carro negro com chofer, ele refestelava-se no banco de trás. Deu seu endereço, mas foi levado para o Manicômio Judicial.

REVISTA VEJA, N.° 116RolloverBackArrow
25/11/70

Anúncios