Mas Será o Benedito?

benedito2Editora Globo, 1996 (reeditado em 2011 pela Editora Planeta) 
Explicação mais do que necessária

IMPRENSAMario Prata acha origem de ditos populares (Estadão, 26/06/1996)

button
Cultura, Saraiva, Travessa, Livraria da Folha, Amazon, Kindle, Kobo

Mas Será o Benedito? é uma contribuição única aos estudos da linguagem no Brasil. Uma obra, tenho certeza, que chamará a atenção de todos que se interessam pelo português tal como é falado no país há muito tempo. O conhecidíssimo dramaturgo e escritor Mario Prata reúne mais de 400 expressões, provérbios e ditos populares e faz uma análise bem própria – com singular humor e nenhuma preocupação acadêmica – das prováveis origens de cada um deles. O leitor ficará sabendo, por exemplo, que a expressão “cara de bunda” é, na verdade, uma corruptela de “cara de Buda”. Segundo o autor, “o brasileiro logo achou que Buda tinha cara de bunda (e não tem?) e modificou a frase”. Pode? Neste livro tudo pode. Transparece, aliás, um certo entusiasmo para com os países baixos da geografia humana. Um tema, de acordo com Prata, característico da cultura brasileira e não dele propriamente. Poucos devem saber, para citar mais um exemplo, que “comer gato por lebre” se referia originalmente a um curioso triângulo sexual envolvendo o bandeirante Borba Gato e a cozinheira Mariazinha Lebre. Mas parece que foi assim mesmo. Prata, ao carnavalizar os ditos populares, consegue fazer rir. Ou seja: não perdeu o seu latim.

Matthew Shirts
Brasilianista e historiador

RolloverBackArrow

Anúncios